Notícia | CULTURA

Morre aos 91 anos o professor e escritor Germano Machado


Redação

27/12/2017


Morreu na madrugada desta quarta-feira (27), o professor Germando Machado. Ele tinha 91 anos e sofreu um infarto, vindo a falecer por volta das 4h30.

 

O professor Germano, como era chamado por alunos, amigos e admiradores, fundou o CEPA (Cículo de Estudo Pensamento em Ação) em 1951. Por lá passaram nomes influentes na política e cultura brasileira, como Carlos Lacerda e Glauber Rocha. Além de professor era também filósofo, escritor, jornalista e agitador cultural.

 

Com uma mente inquieta, o professor Germano colaborou em jornais como A Tarde, Correio e Tribuna da Bahia (BA), Tibuna da Imprensa (RJ)  e Jornal Operário (SP), dentre outros.

 

Foi autor de dezenas de livros, entre eles "Sintetismo - Filosofia da Síntese", "Tempo Decorrido - e Outros Tempos" e "Cosmovidência de Ruy Barbosa".

 

O professor Germano manteve-se ativo até o final da vida ministrando cursos e debates no CEPA.

 

Conforme informações postadas em seu perfil no Facebook, o velório acontece na sede do Cepa, na rua Souto Dalva, n. 98, no bairro do Barbalho, em Salvador, até às 19h desta quarta-feira. Nesta quinta-feira (28), acontece uma missa, às 08h, seguida de seu sepultamento, às 10h, no Cemitério Jardim da Saudade, também em Salvador.

 

Em 2014, realizamos uma entrevista com o professor Germano, em que ele falou sobre relançamento de alguns de seus livros, da relação que teve com o cineasta Glauber Rocha e sobre algumas percepções sobre a situação político-cultural do Brasil.

 

Após essa entrevista, mantivemos contato com ele para auxiliarmos na divulgação do seu trabalho junto ao CEPA e dos estudos sobre filosofia no Brasil. Compartilharemos em nosso site alguns dos textos que ele nos enviou nesse período.

Nós só temos que agradecer ao professor Germano Machado, por sua grande contribuição para a educação que transforma, por ter sido uma verdadeira chama viva por uma sociedade melhor. E por acolher a todos com grande carinho e respeito. Descanse em paz professor.

 



Deixe o seu comentário:



Últimos Comentários:

(Deixe o seu comentário)

Flávio Fagundes:

Comentários

Tiago Soares:

Lembro dessa entrevista como se fosse hoje. Apesar de não ter convivido pessoalmente com o professor Germano, recebi dele um pouco daquela chama, que o fazia falar dos trabalhos que desenvolvia no CEPA e por toda a sua vida com grande paixão. Ele foi sem dúvida uma pessoa muito contagiante e que sempre será referência. "Se você não tem uma filosofia de vida, você se torna inútil", frase que ele alcunhou nessa entrevista bem interessante, que foi um dos momentos marcantes que pude ter nesses últimos anos à frente da Sonata.
Professor, espero guardar o mesmo entusiasmo que o senhor, ainda aos 91 anos, trazia consigo pela vida.

Muita Paz, muita Luz!
Gratidão, mestre!